Blog do Leo Santana


QUADRECA MANGÁ 
(E-mail enviado pelo Xará Leonardo Pascoal)

Olá!
 
Gostariamos de informar que nós da Editora Laboratório COM-ARTE estamos
preparando uma edição especial da revista Quadreca, só com o
trabalho de artistas influenciados pelo mangá.
 
Segue abaixo os dados para o envio de material para avaliação.
Se possível, divulgue a quem possa se interessar.
 
Muito obrigado,
 
Equipe Quadreca - 2005
 

PARTICIPE

FORMATO

Histórias em quadrinhos curtas de 1 a 12 páginas, no tamanho 18x26cm. A preferência é por HQs em P&B, mas nada impede que histórias coloridas sejam usadas eventualmente.

TEMA

Todos os tipos de histórias, temas ou formas de abordagem serão aceitos. Porém, além das edições regulares, a equipe da Quadreca produzirá neste ano de 2005 uma edição especial temática, a Quadreca Mangá, privilegiando histórias em quadrinhos cuja forma narrativa seja influenciada pelo mangá.

DESENHISTAS E ROTEIRISTAS

Para aqueles que só desenham, ou só fazem roteiros, e querem participar, haverá um trabalho de formação de equipes.

Roteiristas: enviar, para a avaliação, roteiros inéditos e que se enquadrem no limite de páginas.

Desenhistas: enviar, para a avaliação, páginas em quadrinhos ou ilustrações (no máximo 5 de cada).

De acordo com as necessidades apresentadas (um ótimo desenhista precisando de um roteiro ou um excelente roteirista que precisa de um bom desenho), procuraremos "casar" as habilidades das pessoas envolvidas para viabilizar a publicação.

ENVIO

Pelo correio: Quadreca Editora-Laboratório Com-Arte - CJE-ECA – Av. Professor Lúcio Martins Rodrigues, 443 - Bloco A - Sala 10 - Cidade Universitária - CEP 05508-020 – São Paulo/SP.
Em anexo ao material enviado, devem constar o nome completo (e pseudônimo, se tiver), endereço, e-mail e telefone.

Pelo e-mail: quadreca@gmail.com . Os arquivos devem estar em .gif ou jpg e em até 100dpi. Procure, se possível, colocar "HQ para avaliação", "Desenhista para avaliação", ou "Roteiro para avaliação" como assunto da mensagem.

No corpo do e-mail, pedimos que sejam colocados o nome completo do artista (e pseudônimo, se tiver), endereço, e-mail e telefone. Caso você tenha um portfolio ou site pessoal, a informação será bem-vinda.

PRÓXIMO FECHAMENTO

Especial Mangá - 14 de Outubro de 2005


Escrito por Leo Santana às 21h33
[   ] [ envie esta mensagem ]




Novas Aquisições

Arrematei hoje um lote de revistas nacionais antigas da Grafipar lá dos longínquos anos 80. Tem Katy Apache, Maria erótica, o Comancheiro e mais uma pá de coisa. Muita gente legal como Cláudio Seto, Mozart Couto, Rodval Matias, Shimamoto, Flávio Colin, Watson Portela, Franco de Rosa, Ataíde Bráz, Roberto Kussumoto e mais uma outra pá de gente legal.

Agora, só falta tempo para escanear essas preciosidades e colocar nos Arquivos HQB. Quem viver, verá! Ah, e isso tudo sem contar com as contribuições que venho recebendo, sobretudo, do amigo Jean Okada que recentemente me mandou DICK PETER e que também aparecerá no site!

FUI



Escrito por Leo Santana às 21h06
[   ] [ envie esta mensagem ]




PRISMARTE 24(diretamente do site do Universo HQ)

Nesta edição, o Batmorcego, um estranho "herói" que perambula pelas ruas do Recife;

Uma entrevista com Leonardo Santana , editor da Brado Retumbante;

A HQ Amazônia em Transe, mostrando a cara daqueles que estão tentando tomar o que é do Brasil, e também Onde Está a Vida, de Eusébio Muñoz.

Para adquirir em Recife, entre em contato com a Banca Globo - Telefone 0XX81-3224-0317 ou com a Elemental Comic Shopp - Telefone 0XX081-3221-6842.

Para outros estados, envie um e-mail para prismarte@prismarte.com.br.



Escrito por Leo Santana às 15h53
[   ] [ envie esta mensagem ]




MINHAS HQS ON-LINE

Acabei de postar algumas de minhas hqs que estão disponíveis na web. Fiquem a vontade para ler e opinar. Os links estão aí do lado e são antecedidos pelo símbolo do jogo da velha (#).

Beleza-eza?



Escrito por Leo Santana às 22h11
[   ] [ envie esta mensagem ]




Série Fotologs Legais

Marcelo- http://fotolog.terra.com.br/mqm

O cara tem um traço demais e diferente que não costumo ver por aí. vale a pena dar uma conferida.

 



Escrito por Leo Santana às 21h56
[   ] [ envie esta mensagem ]




Chamada Geral

Meus filhos espalhados aos quatro cantos

1) Milton Estevam
- O CANALHA: Se não morrer ninguém não é notícia
- A Tempestade (?)
- Dois Josés
- TIT-ANIC GIRL: Big, big troubles

2) Maurício Figueiroa (*****)
- METRÓPOLIS: O suicídio

3) Ricardo Anderson (*****)
- CABALA: O Mundo como está
-AS NOVAS AMAZONAS: Homem bom é homem morto

4) Allan Goldman
- AS AVENTURAS AMOROSAS DE JOSEFINA : Novo Mundo

5) Desenhista X
- RAIO NEGRO : A última abentura do Raio Negro

6) Orlando Maro
- OS NOVOS ARCANJOS : Gênese
- VELTA : o Encontro

7) Joacy Jamys
- Já perto do fim

8) Sandro Marcelo
- JUDAS: O início de tudo
- VOLAU e RATO: Os olhos da serpente

Fora os que já estão prontos mas ainda não viram a luz do dia.



Escrito por Leo Santana às 20h28
[   ] [ envie esta mensagem ]




Aulas de roteiro começam dia 10 de setembro

As aulas serão ministradas por esse servo que vos fala. Se você está em Recife, não tem nada para fazer aos sábados e quer aprender a escrever roteiros, pegar dicas e macetes ou pegar alguns atalhos, ainda dá tempo para se inscrever. manda um e-mail pra mim, ok?



Escrito por Leo Santana às 17h33
[   ] [ envie esta mensagem ]




 Palestra de Lançamento Kaos #3
Gibiteca Henfil 08 de setembro 2005 19h

 
Sam Hart, Sandro Castelli, Anderson Cabral e Ricardo Wendel, editores da KAOS! - que completa esse mês sua série de três edições - conversarão com os editores convidados André Freitas do projeto FRONT e Leonardo Pascoal da revista QUADRECA sobre a realidade atual do mercado brasileiro de quadrinhos e aspectos da produção, distribuição e divulgação de revistas.

Kaos! é uma série em três edições publicada pela editora Mantícora, disponível em bancas e comicshops, com quadrinhos e entrevistas nacionais.

Front é uma publicação da editora Via Lettera, com um sistema de edição única e original feita pelos artistas participantes através de lista de discussão pela internet, disponível em livrarias e comicshops

A Quadreca é uma publicação do Núcleo de Quadrinhos da ECA/USP visando o desenvolvimento da linguagem dos quadrinhos, disponível em bancas e comicshops.

"Kaos e Convidados: Mercado de Quadrinhos Atual"
Local: Gibiteca Henfil - São Paulo
Dia: 08 de setembro 2005
Horário: 19 horas


Escrito por Leo Santana às 17h31
[   ] [ envie esta mensagem ]




Sobre nada.

A cineasta TIZUKA YAMASAKI veio pessoalmente a Recife para o pré-lançamento do seu novo filme "GAIJIN - AMA-ME COMO SOU". E, para o Jornal do Commercio (é com 2 M mesmo), deu uma pequena entrevista dentre a qual eu destaco o seguinte trecho:

JC-A que você atribui a resistência da crítica especializada ao filme?
TIZUKA-O filme tem um canal direto com o grande público e uma dificuldade com o segmento intelectual do cinema. A crítica reclama do melodrama do filme, mas eu acho que o melodrama faz parte da vida da gente. Quando o melodrama tem contexto, é ainda mais convincente. Para mim, o mais importante é que as pessoas se emocionem com o filme, porque cinema foi feito para rir e para chorar, assim como a vida.

Não me lembro de ter assistido nenhum filme de TIZUKA YAMASAKI, mas me lembro bem do nome dela como cineasta em meus maravilhosos anos 80. Mas, depois disso, ela fez filmes como LUA DE CRISTAL, XUXA REQUEBRA e O NOVIÇO REBELDE.

Diante disso, após meditar eu cheguei a algumas conclusões:

1) Tizuka é uma verdareira artista. Manteve-se na ativa fazendo aquilo que gosta, mesmo que, não necessariamente, o que gostaria de ter feito.
2) Ela não se diluiu, não se entregou. Mesmo tendo feito filmes considerados por nós como verdadeiras pérolas trash (mas que, observando-se o público-alvo, ela cumpriu exatamente o que se esperava), ela não abandonou seus projetos e conseguiu terminar o que nós chamamos de filme de autor.
3) Mesmo trazendo um filme de autor, ela procurou observar as tendências de mercado (Leia-se os telespectadores) e trazer uma obra que procurasse emocionar.
4) Não só nos quadrinhos existe uma certa "diferença de foco" entre críticos e consumidores no Brasil. Enquanto o público quer uma obra que possa entertê-los, os críticos querem obras que SEMPRE os remetam à obras-primas da NOUVELLE VAGUE francesa ou ao EXPRESSIONISMO alemão.

Mas onde diabos eu quero chegar com tudo isso? Oras, aos quadrinhos é claro! Em minha quixotesca cruzada, eu percebo , no Brasil, uma equação que nunca será resolvida: A crítica especializada não deveria julgar os trabalhos nacionais soba ótica puramente estética, uma vez que existe um abismo produtivo entre outros países e o nosso. Ao mesmo tempo, quem mais poderia incentivar o consumo de produtos nacionais são justamente os críticos, pois são eles quem mais divulgam (ou não) esses mesmos produtos.

Assim sendo, existe uma diferença muito grande entre uma obra quanto ao seu conteúdo artístico e seus objetivos práticos (no sentido de atingir determinado público-alvo). É preciso saber analisar cada produto artístico em relação a esses dois pontos e , a partir daí, elaborar uma crítica que possa realmente ajudar aos produtos nacionais.

Mas, sabendo que isso é uma utopia num país de analfabetos e pedantes, fica aqui mais uma cluna sobre o improvável por Leonardo Santana.



Escrito por Leo Santana às 01h09
[   ] [ envie esta mensagem ]




FIQ de BH vai acontecer, sim!

é o que garante os irmãos Bá e Moon em seu blog. De acordo com eles, Roberto Ribeiro, da casa 21 e um dos organizadores do evento, afirma que o Festival Internacional de Quadrinhos vai acontecer nos dias 5 a 9 de outubro.

E, por falar nos irmãos Bá e Moon, eu oeio esses caras! por que eles tinham que ser tão perfeitos? Eu tenho Rocn'n'roll, Meu coração não sei por quê , feliz aniversário, meu amigo e já li outra pá de coisas e os caras são simplesmente demais!

É uma pena que o fato dos caras arrasarem, não serve de estímulo para as editoras em investirem em outros grandes artistas nacionais.



Escrito por Leo Santana às 21h30
[   ] [ envie esta mensagem ]




Coluna do Roberto Guedes no Bigorna

http://www.bigorna.net/index.php?secao=registrogeral&id=1124203429

Destaque para o trecho:

Tentativas isoladas de lançamento - no caso, com o gênero super-herói - são cada vez mais raras, e em geral, não dão em nada. Parece coisa de gente caprichosa... que insiste em querer fazer prevalecer um gosto todo particular. Os inquisidores de plantão logo arrotam seu preconceito: "Outra tentativa 'cópia-carbono' de gringo acaba de sair!", isto é, quando se dignam a tecer comentários...

Kaos #3 - Comentários

Rapaz, com certeza essa é a melhor das 3 revistas lançadas até agora. Sam hart arrasa mais uma vez com o seu A de Aluguel trazendo mais uma história que se interliga com a anterior, uma vez mais por um acontecimento tido como banal no número anterior, mas que serve para demonstrar como tudo no mundo está interligado.

As entrevistas com Dave Gibbons e, melhor ainda, com o Luiz Gê (Que dessa vez abriu o verbo, ao contrário do Mutarelli que preferiu ficar calado no número anterior) se mostraram muito informativas e interessantes.

Belasco volta numa história muito melhor que a sua de estréia e , dessa vez, com a arte espetacular de Lúlia Bax. Na minha opinião, a melhor história da revista.

e, para finalizar, outra hq de Jean Canesqui (Que também escreveu a de Belasco) com o Homeme que tudo vê. Ficção, pop culture e ação tudo na medida exata.

A Kaos é a prova cabal de que, tudo o que o Brasileiro precisa para fazer um material cada vez melhor é PRODUZIR. A revista cresceu em qualidade e conceito no decorrer dos números que lançou e, agora, vai deixar saudade, uma vez que "a primeira etapa" se encerra. Isto cheira a limbo editorial, o que é uma pena pois a revista ainda poderia oferecer muito, e cada vez mais, a nós, leitores nacionais carentes de publicações legais.



Escrito por Leo Santana às 12h07
[   ] [ envie esta mensagem ]




RUMA DE GENTE

Um novo evento de quadrinhos no Ceará

Sábado, dia 27 de agosto, de 9:00 as 16:00 acontecerá o evento RUMA DE GENTE no Estúdio Daniel Brandão Quadrinhos e Artes Gráficas, que fica na Torre Comercial Del Paseo, sala 817. Compareça e confira palestras com profissionais de quadrinhos. Participe de work shops gratuitos de HQ e Mangá. Garanta o seu exemplar do Manicomics, fanzine bicampeão do prêmio HQ Mix, o Oscar dos quadrinhos! Lá haverá o lançamento da edição #28, que marca a estréia de uma nova fase com novos colaboradores. As raríssimas edições # 0 e # 1 serão relançadas. Artes estarão expostas e originais serão postos à venda. A entrada é franca.

O evento faz parte dos cursos de Desenho, Quadrinhos e Mangá do Estúdio Daniel Brandão, que estará oferecendo descontos especiais para os participantes que apresentarem o folder de divulgação.  Maiores informações: (85) 3264-0051. Não perca e chame seus amigos!!!

 



Escrito por Leo Santana às 13h01
[   ] [ envie esta mensagem ]




Festival Internacional de Quadrinhos corre sério risco
de não acontecer


Por Sidney Gusman (23/08/05)
http://www.universohq.com

Festival Internacional de Quadrinhos de Belo
HorizontePéssima notícia para os fãs da arte
seqüencial no Brasil: o Festival Internacional de
Quadrinhos de Belo Horizonte está correndo um sério
risco de não ter sua quarta edição realizada este ano.
A informação é do Quadrinho.com, site parceiro do
Universo HQ.

O evento estava inicialmente programado para acontecer
de 5 a 9 de outubro, mas a 45 dias da abertura, a
informação da assessoria de imprensa da Fundação
Municipal de Cultura - FMC é que ainda está em "fase
de captação", ou seja, em busca de patrocínio. O
organizador e curador do FIQ, Roberto Ribeiro, da
editora Casa 21, disse ter ouvido de um representante
da FMC que "não há mais possibilidades de se conseguir
esse patrocínio". Agora, a única chance de o evento
ocorrer está nas mãos do prefeito de Belo Horizonte
Fernando Pimentel.

"Comuniquei ao Sr. Liboreiro (da FMC) que nossos
prazos esgotaram-se e que a Casa 21 aguardaria até
quarta-feira, dia 24 de agosto, para uma decisão sobre
o futuro do IV FIQ", ressaltou Ribeiro. "Manifestamos
nosso descontentamento com o andamento da situação,
expusemos a gravidade de um processo de ruptura no
evento e destacamos as questões éticas e morais
relacionadas ao atraso deste processo decisório.
Sublinhei que um comunicado de adiamento ou anulação a
apenas um mês e meio de sua realização, traria, sem
dúvida, conseqüências negativas para os
organizadores."

Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte
Para esta edição já estavam confirmadas as vindas do
roteirista de Mágico Vento Gianfranco Manfredi (sua
exposição inclusive já chegou) e Marina Pazienza (com
uma mostra inédita de obras de Andrea Pazienza), ambos
da Itália. Da França viriam Frédéric Boilet e
Christophe Blain (que já cancelou em função dessa
indecisão); dos Estados Unidos, Gary Panter (também
pode desistir se não receber uma confirmação rápida) e
Signe Baumane (cinema de animação); da Austrália Eddie
Campbell (também prestes a recusar o convite); e da
Espanha Luis Duran. Isso sem contar o homenageado
Lourenço Mutarelli e diversos autores brasileiros.

Se o cancelamento do IV FIQ realmente se concretizar,
representará um perda gigantesca para o mercado
nacional de quadrinhos. Trata-se do maior evento do
gênero no País e na América Latina, e sua interrupção
certamente causaria um prejuízo difícil de ser
recuperado para essa forma de arte tão maltratada.

Desde que passou a ser realizado, o evento trouxe ao
País autores internacionais de renome nos mais
variados gêneros, como Miguelanxo Prado, Lorenzo
Mattotti, Jorge Zentner, Jacques Loustal, David Lloyd,
Kile Baker, Sergio Toppi e outros.

Isso sem contar as várias exposições nacionais e
estrangeiras.

O festival também já se tornou um ponto de encontro de
profissionais e fãs de todos os estados do Brasil, que
aproveitam para mostrar seus trabalhos no evento. Em
2003, por exemplo, serviu de vitrine para o lançamento
das então desconhecidas Mosh! (do Rio de Janeiro) e
Quase (do Espírito Santo).

A última edição do evento, além de ter faturado dois
troféus HQ Mix (Melhor evento e Melhor exposição:
Mozart Couto) levou mais de 25 mil pessoas à Casa do
Conde de Santa Marinha - espaço cultural de eventos da
capital mineira.

O mais estranho nessa situação toda é que, no dia 21
de agosto, durante o Salão do Livro & Encontro de
Literatura, foi distribuído aos presentes um panfleto
confirmando a realização do FIQ para a data prevista.
O convite trazia até o cartaz, assinado por Lourenço
Mutarelli e anunciava exposições nacionais,
internacionais, oficinas e a Maratona de Quadrinhos. O
detalhe é que Roberto Ribeiro nem sequer foi avisado
sobre essa peça gráfica, que trazia o timbre da
Fundação Municipal de Cultura.

O Quadrinho.com repercutiu esse triste cenário com
algumas pessoas ligadas ao mercado de quadrinhos em
Belo Horizonte. Para conferir as entrevistas na
íntegra, clique sobre os nomes: Roberto Ribeiro,
Amauri de Paula (Fundação Nação HQ, Cristiano Seixas
(Casa dos Quadrinhos), Piero Bagnariol (Graffiti 76%)
e Bruno Vaz (Clube do Animê e Mangá).

Agora, o anseio de todos os fãs de quadrinhos do
Brasil é que essa situação seja solucionada sem a
desastrosa notícia do fim do festival.


Escrito por Leo Santana às 12h55
[   ] [ envie esta mensagem ]




CURSO DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS - SP

matrículas a partir de 29/08/2005
Com início das aulas na 2º quinzena de setembro
curso ministrado pelo desenhista VLAD CAMARGO
VAGAS LIMITADAS

Local: Livraria Pontes
R. Dr. Quirino, 1223 - Centro - Campinas - SP
www.livrariapontes.com.br

maiores informações pelo fone (19) 3236.0943
ou pelo e-mail: pontes@lexxa.com.br ou vjcam@ig.com.br



Escrito por Leo Santana às 19h28
[   ] [ envie esta mensagem ]




respondendo aos comentários do amigo Jean Okada:

primeiro, a revista do cometa é totalmente colorida, com papel tipo couchê e preço de apenas 5,00. Como só vem uma aventura do personagem por revista, acaba ficando com apenas 32 páginas.

Em segundo lugar, Jean, as criticas não foram endereçadas a você. Talvez os visitantes de meu blog não estejam entendendo o motivo de tanto "ranço" em minhas críticas, mas o seu comentário ajudou até a mim mesmo a identificar e transformar em palavras qual a raiz do problema.

Não gostar de heróis é um DIREITO do leitor. Eu mesmo escrevo sobre heróis, mas o único quadrinho nesse estilo que leio é MARVEL MAX que pode ser considerada uma vertigo da Marvel (No início era mais, mas agora está ficando cada vez mais marvel e menos vertigo). Portanto, o problema não é , exatamente, não gostar do gênero.

Minha crítica não é endereçada aos leitores. Minha crítica é endereçada à classe artística influente no mercado (hein?) de quadrinhos nacionais. Nós temos uma responsabilidade que vai além do nosso gosto pessoal. E se não pararmos para observar isso, poderemos estar cometendo um grande equívoco.

Eu poderia ter dito que não gostei do roteiro da revista do cometa. Mas se eu disse isso eu estaria simplesmente esquecendo para qual o público que a revista está sendo direcionada. E é isso que a maioria dos formadores de opinião nacional não tem percebido (pelo menos na minha opinião).

Lançar um trabalho como a BRADO, o COMETA, a KAOS e , até mesmo, o CAMPANA são trabalhos homéricos. Só quem lança é quem sabe o trabalho que dá. E não falo somente em matéria de confecção. Acho difícil que haja alguém aí ganhando dinheiro com isso. E mesmo assim, os trabalhos estão cada vez pipocando mais.

É preciso chegar ao leitor. Sem dinheiro para o MARKETING, nossa única esperança está na internet e junto a esses formadores de opiniões. Eu coloquei a Brado nas bancas aqui de recife e, mesmo sem nenhuma divulgação, sem nenhuma matéria no jornal (Você leu o comentário em que eu falei dos jornalistas daqui que nos deixaram na mão?), ainda assim vendemos 20 revistas. Parece pouca? talvez seja, mas foram 20 revistas vendidas sem nenhum esforço de nossa parte. E o que dizer se tivessemos alguma divulgação? Quando saímos na wizard, isso não alavanca as vendas diretas por que são poucas as pessoas que se interessam em ir na internet saber como adquiri-la, mas sabemos que isso se reflete positivamente nas comics shops onde a Brado é vendida através do HQ CLUB, por que as pessoas, que viram a revista na wizard, se interessam em adquirir a revista quando ela está em exposição.

Mas, voltando ao assunto: Os formadores de opiniões acabam não observando que as obras nacionais tem que ser analisadas não só comparadas aos gostos pessoais de cada um, mas em se levando em consideração qual o público-alvo desses quadrinhos. Quer um exemplo disso: eu não acho que combo-rangers tenha feito sucesso devido aos seus roteiros elaborados e seus desenhos. Claro que ali você tinha estrutura, divulgação e o produto certo para um público certo. Eu estaria sendo leviando se tirasse o mérito da revista simplesmente por que ela não faz o meu gênero. Quer que eu dê outro exemplo? Os GUERREIROS DA TEMPESTADE. Peguei muito amigo descendo o pau na revista pelos fatores que todos nós conhecemos (Roteiro fraco, desenhos de razoáveis para bom), mas eu simplesmente adorei a revista. Não a história, mas a revista. Ela era colorida, num papel especial, com preço acessível e trazia o que muita gente quer ler sim. Não podemos achar que no Brasil só tem intelectual lendo quadrinhos. Tem muita gente mediana que só quer se divertir lendo seus quadrinhos (Na verdade, a maioria só quer se divertir. fugir alguns momentos da realidade). Por isso, acho que a revista  foi imensamente feliz em sua abordagem e direcionamento. POr que razão eu deveria desmerecer o trabalho desses caras?Será que tá dando para entender o tipo de comparação que estou querendo traçar?

Então, a crítica segue lembrando que o que é permitido aos leitores(amar um gênero e desprezar os demais) deve ser pesado com parcimônia pelos formadores de opinião. Isso, para mim, se tornou óbvio com a não inclusão da Brado Retumbante no HQ MIX (Mesmo que só agora, com o seu comentário, é que isso tudo tenha se organizado em minha cabeça e se traduzido em palavras inteligíveis.). Quer outro exemplo? A Brado até poderia não estar incluída na lista (Afinal somos P&B, temos erros de grafia etc), mas o COMETA com certeza deveria estar!

O André Diniz, há algum tempo atrás, lançou um manifesto onde dizia: "não apóie os quadrinhos nacionais". E, dentro do contexto (Ele queria, com isso,  que os autores lutassem cada vez mais para produzirem trabalhos melhores), eu concordei com ele. até hoje. Acho que agora chegou a hora do "Apóie os quadrinhos nacionais" (Dentro de um novo contexto: o de que agora precisamos divulgar esses trabalhos sob o risco permantente de nunca termos o nosso próprio nicho).

Portanto, não se preocupe. As críticas não foram para você (e você sabe disso). o termo vã guarda só cabe aos afetadinhos que acham os outros inferiores por que não seguem a sua linha de racicínio.



Escrito por Leo Santana às 22h32
[   ] [ envie esta mensagem ]




O COMETA

Comprei o Cometa. Finalmente, e depois de alguns desencontros, tenho finalmente os 4 primeiros exemplares. A revista é um verdadeiro primor: Desenhos, cores, roteiro de acordo com o que se propõe e um acabamento altamente profissional.

O meu punico senão é em relação aos roteiros bastante ingênuos. Mas eu não posso esquecer jamais que a revista não foi feita para mim e sim para uma imensa quantidade de leitores que apreciam o estilo. Mas, mesmo assim, no decorrer dos numeros, eles vão se tornando mais elaborados dando novas dimensões ao personagem.

Em suma, é mais um exemplo de quadrinhos nacionais que vem lutando bravamente contra os esquemas de nosso mercado editorial e contra os artistas de vã guarda.



Escrito por Leo Santana às 16h46
[   ] [ envie esta mensagem ]




AMARCORD

Hoje assisti AMARCORD de FEDERICO FELLINI e, entre boas gargalhadas e alguns momentos mágicos, reforcei a minha vontade de produzir MEMÓRIAS DEL CHACO, histórias baseadas em minha adolescência em Natal, RN, tendo como foco central o bar montado por 4 amigos que se chamava EL CHACO.

Mas, antes de maiores informações, vamos voltar ao filme. Não é de hoje que Fellini me encanta. Não assisti tantos filmes quanto deveria mas os poucos que vi, me marcaram profundamente. Foi assim com "A Orquestra" (Acho que era esse o nome), A voz da lua e, agora, Amarcord.

É impressionante como o filme é bom! Fellini tinha essa capacidade de focalizar a história em uma dezena de personagens diferentes atribuindo a todos o mesmo status de protagonistas. Ou melhor, é como se não houvesse um astro principal. Todos o eram. E, ainda assim, nenhum deles era diluído, se tornava menor por causa dessa pouca exposição. E, novamente ainda assim, eram personagens completos, cheios de vida e de facetas, como somos todos nós. É mais um filme que recomendo.

Voltando a MEMÓRIAS DEL CHACO, não pretendo me comparar a um Fellini, mas pretendo contar algumas das desventuras que vivi (ou não) e das pessoas mais loucas e maravilhosas que passaram na minha vida numa época em que éramos felizes e não sabíamos.



Escrito por Leo Santana às 16h34
[   ] [ envie esta mensagem ]




MOSH

Antes tarde do que nunca. recebi os ns. 5,6,7 e 8 do MOSH e fiquei encantado. Quadrinhos rock'n'roll no melhor estilo. Destaque para o Fábio Lyra que escreve e desenha histórias delicadas e profundas como "a garota tennage fanclub" e "garota infinito". Achei superlegal e recomendo. Vale realmente a pena.

Quem quiser saber mais acesse http://www.revistamosh.com.



Escrito por Leo Santana às 17h55
[   ] [ envie esta mensagem ]




XAXADO 2
 
 
Aos amigos e colegas.
Veja mais informações em:
 
 


Escrito por Leo Santana às 17h47
[   ] [ envie esta mensagem ]




Atualização nos ARQUIVOS HQB

.:: HQS - Mestres ::.
Os Tijolinhos: Mais uma hq do mestre OFELIANO, dessa vez mostrando, com sensibilidade, a vida dentro de um manicômio.

Cortesia de nosso amigo J.OK.

Curso de Desenho no Paraná

http://www.cursos.cefetpr.br/desin/hq.htm



Escrito por Leo Santana às 10h40
[   ] [ envie esta mensagem ]




A volta do velho resmungão

Ia responder aos amigos JJ e Allan Goldman direto nos comentários, mas achei melhor usar o próprio Blog para criar uma espécie de interação. Então vamos lá...

Agradeço aos amigos JJ e Goldman. Espero que vocês tenham razão. Realmente tenho um espírito inquieto, mas vejo tanta gente fazendo tanta coisa legal que pergunto se (e pra quê) continuar. Some isso ao fato de ser difícil lutar com os grandes quando, até mesmo dentro do nosso meio, somos ignorados.

Para citar alguns exemplos:

1)Encaminhei exemplares da Brado para os jornais aqui da cidade e nenhum deles (E olha que ambos tem uma seção dedicada a quadrinhos, temos o FIHQ que acontece aqui e tudo mais) dedicou um único ponto, acento ou letra ao nosso projeto. E olha que eu cheguei a conversar com uma das jornalistas por 3 vezes e ela sempre me conzinhando dizendo: "nessa semana não dá por que o filme do quarteto fantástico vai estreou duas semanas atrás e eu preciso resenhar sobre ele, mas na próxima semana, pode ficar tranquilo que sai" e coisas desse tipo.

2) Alguns artistas nacionais (leia-se formadores de opiniões) ignoram completamente a revista. Foi assim no HQ MIX (Que ainda não digeri) e é assim em outros meios que não vou citar. Parece que a revista é maldita por que tem o gênero "heróis no Brasil". Pode ser educado e dizer que não é bem assim, mas também ninguém veio me dizer o contrário ainda.

3) É difícilimo manter uma revista como a Brado, com uma tiragem de 1000 exemplares, acabamentos graficos semi-profissionais e com hqs consideradas por que lê como "muito boas" sem ter nenhum tipo de suporte. Todos nos que mantemos a Brado trabalhamos em outras atividades não-relacionadas diretamente com arte e alguns (Como é o meu caso) tem um horário rígido a ser cumprido (9:00 as 18:00 no trabalho e 18:45 as 22:00 na faculdade). Tudo é ajeitado por nós mesmos do jeito que dá: somos nós que produzimos, divulgamos, distribuimos, respondemos cartas, e-mails, telefonemas e tudo o mais. As vezes penso que o melhor mesmo era fazer um fanzine xerocado e ir "imprimindo" na medida que ele fosse sendo pedido.

Fala sério, estou parando de escrever sobre heróis e aventuras por que ando desanimado com esse sentimento de que ninguém dá a devida importância aos quadrinhos de heróis. É sério.

Eu poderia dizer que não ligo para os comentários, que estou aqui para produzir a minha (sic) "arte", mas a verdade nua e crua, aquela que todos nós sabemos mas não temos coragem de admitir, é que estamos nessa pelo reconhecimento, pelos elogios. E pelo quê mais seria? não ganhamos dinheiro, não ficamos famosos e ainda somos chamados de idiotas pelos que não lêem quadrinhos (e por alguns que lêem).

Todo artista é, antes de tudo, um narcisista.



Escrito por Leo Santana às 22h38
[   ] [ envie esta mensagem ]




Kaos 3

Está cada vez melhor! Ainda não li, mas já estou com meu exemplar. Tem A de aluguel, belasco e o homem que tudo vê. Grandes caras escrevendo e desenhando pacarai num produto nacional que me enche de orgulho e admiração. O preço é meio salgado, mas acho que vale cada centavo. Compre a sua (ou depois não vá reclamar que não temos quadrinhos nacionais!).



Escrito por Leo Santana às 22h11
[   ] [ envie esta mensagem ]




Crise de identidade

Todo artista que se preze, mais cedo ou mais tarde, passa por isso. Comigo não poderia ser diferente. tenho andando muito reticente quanto ao meu futuro nos quadrinhos nacionais.

De um lado não temos espaço e, quando temos, somos nossos próprios algozes. Criticamos tudo o que não lemos. Quem lê heróis é babaca, quem lê mangá é retardado, que lê quadrinhos europeus é pedante, quem lê quadrinhos infantis está parado no tempo e quem lê quadrinhos nacionais não compra quadrinhos nacionais.

Do outro lado, não tenho uma real medição da importância de minhas histórias. às vezes acho que escrevo grandes histórias, as vezes acho que escrevo histórias banais demais. Não consigo criar uma história sem pé nem cabeça e depois ter que ficar explicando a cada um que lê o que é que eu queria dizer. Aí a importância não está em minha história, mas em mim.

Tenho amigos e sou muito grato a todos eles. Eles dizem algumas coisas sobre meus roteiros (Afinal de contas, eles são meus amigos), mas não acho que eu vá conseguir chegar ao hall dos caras que se sentem realizados escrevendo quadrinhos.

Ah, sei lá!!!



Escrito por Leo Santana às 21h22
[   ] [ envie esta mensagem ]




Edição Quadrinhos 2
(Dica do Sandro Marcelo)

Salve, Pessoal!
 
Saiu a Edição Quadrinhos #2, da Editora Opção 2!
 
Com hq's de Shimamoto, Manzano, Sennes, Marat, Calazans, Franco, Arthur, Luciano, José Francisco, Bruno, Moacir, mais entrevista com o Dr. Fantasma! 44 páginas.
 
Para comprar, envie R$ 5,00 a Arthur Filho (Rua Espírito Santo, 232/02 - Porto Alegre, RS, 90010-370).
 
Eu li a edição 1 e achei um trabalho interessante! Segue capa em anexo!
 
Sandro



Escrito por Leo Santana às 21h06
[   ] [ envie esta mensagem ]




Editora de Quadrinhos Independente (Americana)
(E-mail do amigo Jackson Gebien -
jacksongebien@ibestvip.com.br)
 
A Fantagraphics Books é a melhor editora de quadrinhos alternativos do mundo. Pra vc ter uma idéia, foram eles que descobriram os irmãos Hernandes, criadores de Love and Rockets, Palomar e Locas. São eles tbm que publicam tudo do Crumb nos eua. No entanto eles são super abertos a novas idéias e propostas. O catálogo deles chega a dar medo, heheh, tem umas coisas muuuito esquisitas lá. Se vc quiser, pode pedir o catálogo que eles enviam de graça, eu tenho uns dois aqui. Vale a pena pra ver como há coisas diferentes lá. Dá vontade de comprar tudo, heheh. Bem, no site, existe uma seção chamada Submisions, onde tem as regras de como enviar material para avaliação. Algumas dessas regras são as seguintes: Não queremos super heróis, terror, western e nada do que vc encontra em outras editoras. Queremos materiais originais e com propostas diferentes. Não exigimos curriculum. Sua obra deve ser boa por sí só, não sendo avaliados por trabalhos anteriores. E por aí vai. O site é http://fantagraphics.com


Escrito por Leo Santana às 09h25
[   ] [ envie esta mensagem ]




Novo Endereço

Galera, meu novo endereço é:

AV. GOV. CARLOS DE LIMA CAVALCANTI, 3077, AP. 304
EDF. ESTAÇÃO DO ATLÂNTICO
BAIRRO NOVO - OLINDA - PE
53.130-530

Por favor, atualizem seus cadastros, ok?



Escrito por Leo Santana às 12h14
[   ] [ envie esta mensagem ]




Saiu o Manicomics 28
(Retirado do Fotolog do JJ Marreiro)

No Manicomics 28 vocês podem conferir o seguinte:
Estréia de Sidney Gusman como roteirista de quadrinhos, numa HQ desenhada por Daniel Brandão e arte-final de JJ Marreiro.
E.C.Nickel chega ao Manicomics com uma história que mescla Fantasia, aventura e terror.
Pra completar a edição, a Mulher-estupenda em uma aventura espacial ao lado do Esquadrão dos Super-Heróis.



Escrito por Leo Santana às 12h13
[   ] [ envie esta mensagem ]




Desenhista Encontrado

Fechei com o MILTON (Papa-Tudo) ESTEVAM os desenhos da história DOIS JOSÉS.



Escrito por Leo Santana às 12h00
[   ] [ envie esta mensagem ]




RENEGADO 3000.
 
Esse é o o nome do novo personagem que estreará nas páginas da BR 04:
 
 
 
O RENEGADO 3000, é uma série de ficção científica e muita aventura onde conhecemos um mundo dividido entre dois grandes blocos detentores do poder mundial: A ORDEM e os DRAGÕES ASIÁTICOS!
 
A ORDEM é o conjunto de países conquistados pelos antigos E.U.A. que sofreu um golpe militar muito semelhante ao que ocorreu no Brasil e que abragem basicamente todas as Américas.
 
Do outro Lado do Mundo, temos os DRAGÕES ASIÁTICOS, uma coalisão entre os países da Asia e Oriente Médio sob a chefia da CHINA.
 
Neste mundo de caos e guerra (Principalmente numa Europa e Áfricas ainda não totalmente conquistadas por nenhum dos blocos, mas como principais campos de batalha), conhecemos o nosso personagem que desertou das forças da ORDEM e que agora ruma incerto de volta ao país onde nasceu: o BRASIL, tentando deixar para trás todo um passado de armas, dor e destruição.
 
Mas o passado está sempre a sua procura.
 
Não percam a incrível aventura do RENEGADO 3000 em novembro nas páginas da BRADO RETUMBANTE N. 4


Escrito por Leo Santana às 14h10
[   ] [ envie esta mensagem ]




Procurando desenhista

Está vai só para o pessoal que visita meu blog: estou procurando um desenhista para desenhar (dãããã) uma hq de 7 páginas para um projeto de um amigo daqui de Recife. Ainda não sei muito bem o que ele vai fazer com as hqs que está juntando, mas estou dentro pro que der e vier. Como já foi mencionado, a hq tem 7 páginas e se passa toda num casebre abandonado numa favela. os dois personagens principais são típicos brasileiros moradores desse meio sendo que um é um traficante e o outro é um trabalhador comum.

O projeto tem um prazo de 7 semanas para a produção da hq a contar a partir do dia 10 de setembro e eu preciso já ter um desenhista até lá. Os interessados em assumir esse compromisso devem mandar um estudo dos dois personagens e um desenho da panorãmica da favela pra eu dar uma avaliada. mandem para o meu e-mail lsantanabr2000@yahoo.com.br

O tema da história é a INVEJA e o título é DOIS JOSÉS.

Fui



Escrito por Leo Santana às 18h49
[   ] [ envie esta mensagem ]




Nova Metrópolis

Acabou de chegar no meu e-mail mais uma história da série METRÓPOLIS, criada e escrita por mim e desenha pelo MAURÍCIO FIGUEIROA. Infelizmente, essa hq vai ficar na geladeira por enquanto por que estamos pensando em juntar todas as hqs de METRÓPOLIS prontas e mais uma ou outra para fecharmos uma edição especial só com METRÓPOLIS. Ainda não sabemos se o trabalho interessa a alguém, mas se não interessar então vamos continuar lançando as hqs através da PRISMARTE e do site da NONA ARTE.

O título dessa hq chama-se CLAUDIA ENCONTRA A FELICIDADE e gostei muito de tê-la escrita e também do trabalho feito pelo MAURÍCIO. Quando decidirmos o que fazer com a hq, volto aqui e aviso a vocês.

E, aguardem, dentro em breve o mais novo zine (Sim, isso mesmo! Zine!) EXXXPLORER 69.

 



Escrito por Leo Santana às 14h59
[   ] [ envie esta mensagem ]




Avisa lá que eu tô voltando!

Olá galera, estou voltando! a velha programação já está quase totalmente regularizada e  poderemos voltar a tratar do assunto que para nós, entre os menos importantes, é um dos mais importantes: quadrinhos!

Fiquei muito feliz ao comprar a nova revista do SANDRO MARCELO: o CAMPANA! O cara começou com um zine (o n. 1), mas com muita sagacidade elaborou um produto com uma qualidade gráfica invejável. Realmente ficou um trabalho muito bonito de se ver e acompanhar, o que me dá muito orgulho, pois sei o quanto o Sandro é abnegado, dedicado e simples.

Mas vamos falar do Campana: com tiragem de 1000 exemplares, Sandro traz uma nova aventura do BLAGSTER, um misto de cowboy, mercenário e Blade Runner, onde há muita aventura. A revista conta ainda com uma aventura escirta por mim e ilustrada por Lula Borges de JUDAS, um criminoso e assassino que é obrigado a trabalhar para a polícia num violento Brasil no ano de 2049.

A revista é baratinha, baratinha: Apenas R$ 3,00!

E se vocês não comprarem, como esperam que ele lance outros números?

Tá dado o recado!



Escrito por Leo Santana às 21h32
[   ] [ envie esta mensagem ]




Mudanças, mudanças, mudanças

Olá pessoal! Mudei-me ontem de endereço. Estou todo moído e, ainda, sem gás, telefone e acabei perdendo o resto do juízo que tinha. Ainda não sei (na verdade sei, mas não me lembro agora) qual o endereço atual. A rua é a mesma, mas o núemro é outro. o do apartamento também. Assim que puder, coloco aqui pra vocês e divulgarei entre os meus contatos de e-mail.

Estou passando aqui rapidinho só para dizer isso e que não sei ao certo quando me conectarei novamente. Talvez só segunda (pela empresa, o que é chato pois não posso me demorar demais e responder os e-mail com calma).

Outras mudanças são mais de cunho pessoal. Ainda tenho que escrever um roteiro do Crânio (curto) e outro do Homem-Justo (Que parei, mas pretendo retomar quando der), mas que pretendo me afastar dos roteiros de "heróis" (Assim mesmo, entre aspas para melhor exemplificar o tom pejorativo que o gênero recebe aqui no Brasil - em tempo: apenas por artistas e crítica nacionais).

Eu tenho pelo menos mais um ano de Brado garantida (os roteiros da BR 4 e 5 já estão prontos e em faze de produção), mas pretendo agora me dedicar a outros tipos de gêneros (O que pra mim não será nenhuma novidade pois já faço isso desde o começo, mas parece que a gente acaba ficando conhecido só por um trabalho).

O trabalho das amazonas, embora pareça um trabalho de heróis, é na verdade uma ficção-fetichista onde eu vou poder discutir um pouco a guerra dos sexos e as relações homens-mulheres (Claro que com muita ação, mas que em breve irá dando lugar também aos dramas pessoais de todos os personagens envolvidos). Mesmo assim, como tudo no Brasil, esse é um trabalho que deverá ser conduzido de maneira bem devagar pois não só não foi solicitado por ninguém como ainda não sei se terá aceitação por partes dos leitores.

Como comentei com o Jean Okada em um post anterior, a série poderá vir a sair no AREIA HOSTIL num futuro não muito distante, mas para isso a hq precisa ficar pronta e passar pelo crivo do Lorde Lobo.

Ela não deve sair na Brado por que já tem muitos personagens na revista e não quero deixar de escrever cabala (Pelo menos por enquanto) para ter que escrever outros personagens (Mesmo que meus, embora no número 4 irá estrear um outro personagem meu de ficção científica)

É isso aí galera. Por enquanto fico por aqui. quando tiver novidades, eu volto. Talvez já na próxima semana estaremos com nossa programação normal reestabelecida.



Escrito por Leo Santana às 12h41
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
  01/09/2006 a 30/09/2006
  01/08/2006 a 31/08/2006
  01/07/2006 a 31/07/2006
  01/06/2006 a 30/06/2006
  01/05/2006 a 31/05/2006
  01/04/2006 a 30/04/2006
  01/03/2006 a 31/03/2006
  01/02/2006 a 28/02/2006
  01/01/2006 a 31/01/2006
  01/12/2005 a 31/12/2005
  01/11/2005 a 30/11/2005
  01/10/2005 a 31/10/2005
  01/09/2005 a 30/09/2005
  01/08/2005 a 31/08/2005
  01/07/2005 a 31/07/2005
  01/06/2005 a 30/06/2005
  01/05/2005 a 31/05/2005
  01/04/2005 a 30/04/2005
  01/03/2005 a 31/03/2005
  01/02/2005 a 28/02/2005


Outros sites
  # METROPOLIS
  # PRA QUÊ TANTO PODER?
  # CIÚMES
  # SOZINHO
  # SEGUNDA-FEIRA SANGRENTA
  # O CHAMADO
  Alan Moore Sr do Caos
  Alex Miranda
  All Silva
  Allan Goldman
  Areia Hostil
  Arquivos HQB
  Bad Girls Blog
  Crazy Claudinha
  Bigorna
  Brado Retumbante
  Carlos Brandino
  Clube
  Comic Art Community
  CQB
  Crazy Claudinha
  Daniel Brandão
  Denelson (Animes Free)
  10 pãezinhos
  Dumpalink
  El Lapadon
  ELMS
  Fantagraphics
  FotoLobo
  Gian Danton
  Gibi Blog
  Girls With Guns
  Glam0ur
  Hardbrasil
  Hector Lima
  International Hero
  Ivan Maurício
  JJ Marreiro
  Joacy Jamys
  Kamen Rider
  Kill My Day
  Lula Borges
  Macoratti - Programação
  Mangazinne
  Manoel
  Marcelo QM
  Márcio Takara
  Martelo
  Mauro Barbieri
  Musikaki
  Napalm Comics
  Nona Arte
  Nona Arte Blog
  Omedi
  Orbital
  Prismarte
  Prof. Gerson
  Quadrinhos Crepúsculo
  Rapadura Açucarada
  Revista Kaos
  Rodrigo Martins
  Samicler
  Sandro Marcelo
  Sci-Pulp
  Seabra
  stinkydonuts
  Seiren
  Superzines
  Time Killer
  Universo HQ
  Zine Brasil [Fotolog]
  Bubba Gump
  Jean Ok Flog
  Zona Negativa
  Marco Santiago
  Laudo
  banda erótica
  FAT
  Sivirino
  Attu Sees All
  Blogalizado
  Anderson Quespaner
  Jackson Gebien
  Warren Ellis
  Paulette
  Antônio Éder
  Relatório Alfa
  o Franco Atirador
  Gibizada
  Munich
  Fábrica de Quadrinhos
  Héroi
  HQ Maniacs
  Sobrecarga
  Candyland
  Cortante
  Neorama
  HQ NADO
  Subterrâneo
  Paulo Nery
  Joe Bennet
  Zuper blog
  Loblog
  Melhores do Mundo
  Roger Cruz
  Blog Dos Quadrinhos
  Raul TM
  LS FLOG
  Ricardo Anderson
  Baú da Grafipar
Votação
  Dê uma nota para meu blog